Connect with us

História da TV

Adriane Galisteu viveu trauma em estreia na novela Xica da Silva: “Uma coisa horrorosa”

Published

on

A apresentadora Adriane Galisteu estava cotada para apresentar o Power Couple Brasil na Record e deve seguir nos planos da emissora (Créditos: Reprodução)

Em resumo, Adriane Galisteu fez sua estreia como atriz na novela Xica da Silva, mas não se saiu tão bem (Créditos: Reprodução)

Sempre muito boa no que faz, Adriane Galisteu viveu uma fase mais conturbada na vida quando aceitou integrar o elenco da novela Xica da Silva, produzida e exibida pela extinta TV Manchete na década de 90. Essa foi a primeira novela inteira da profissional, que não teve boas experiências nos bastidores.

 + Enfim, Arthur Aguiar vira a bola da vez na Globo e tem futuro definido

“Essa novela foi um sucesso tão grande, não por causa dos meus peitos, mas porque as coisas aconteciam. Além dos meus pequenos peitos ‘ovos estalados’ de fora, era uma novela muito à vera”, contou Adriane Galisteu em 2019 para o programa Eletrogordo do Canal Brasil.

De fato, as cenas protagonizadas por Adriane Galisteu na trama eram bem pesadas (Créditos: Reprodução/Youtube)

De fato, as cenas protagonizadas por Adriane Galisteu na trama eram bem pesadas (Créditos: Reprodução/Youtube)

“Meu lugar era dentro de uma cachoeira em Xerém. Tinha umas cobras d’água, uma coisa horrorosa. Peguei de tudo nessa cachoeira: virose, escarlatina, foi muito difícil para mim”, adiantou a loira na época, que até fez sucesso com o folhetim.

+ Em suma, Globo se cansa da concorrência e decide atacar com tudo: “Não deixar passar nada”

“Fiquei tão traumatizada que no set, eu entrei na cachoeira e, quando voltei, a gente tinha sido assaltado. Roubaram todas as minhas roupas, equipamentos, a gente não tinha o que usar”, acrescentou Adriane Galisteu. Aliás, o trauma de Galisteu foi tão grande que ela só voltou a atuar, em uma novela inteira em 2018 na trama O Tempo Não Para, da TV Globo.

Por fim, Adriane Galisteu também foi criticada pelo diretor de Xica da Silva.

“A Galisteu entrou no projeto como estratégia de marketing. Nunca houve pretensão de grande atuação. Criei uma personagem que eu pudesse controlar. Bem ou mal, a crítica fala muito dela”, disse Walter Avancini para a Folha de S. Paulo em 1996.

“Clara vai ganhar ainda mais destaque dependendo do desempenho da própria Galisteu”, disse Avancini na época. “Sou muito exigente. Quero que os atores passem credibilidade. Alguns pensam que em novela de época as pessoas têm de andar como manequins e declamar o texto. Meu grande trabalho foi desfazer esse equívoco”, acrescentou.

Comente com seu Facebook

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

História da TV

José de Abreu teve mau hálito detonado por atriz veterana: “Uma coisa insuportável”

Published

on

Em suma, Maria Zilda e José de Abreu formaram par romântico em Bebê a Bordo (Créditos: Divulgação/TV Globo)

Em suma, Maria Zilda e José de Abreu formaram par romântico em Bebê a Bordo (Créditos: Divulgação/TV Globo)

Escalado para a próxima novela das seis horas da TV Globo, José de Abreu já teve seu lado pessoal exposto pela atriz Maria Zilda. Durante live com o ator Murilo Rosa, a veterana relembrou quando dividiu cena com Abreu na novela Bebê a Bordo, em que formavam par romântico.

“Ele estava numa fase muito doida. Bebia demais. E ele estava tão compulsivo que tinha umas cenas que a gente ficava amarrado numa árvore, um de costas para o outro. Você sabe que ele obrigava o contrarregra a dar a cachaça na boca dele”, explicou Maria Zilda, que formou par com José de Abreu entre 1988 e 1989.

“Então, cara, quando era cena de beijo… Porra, a pessoa que fuma pra caramba. Sabe?”, exclamou. “A pergunta foi: você já beijou alguém com bafo? Já! Era uma coisa insuportável. Evidentemente, ele bebia. Era [cena] externa. Ele suado e já tinha o cheiro do suor, mais o do cigarro, mais o da bebida. Era uma coisa insuportável. O Zé era um bicho”, acrescentou a atriz.

Por fim, o autor também falou de José de Abreu e Maria Zilda em Bebê a Bordo:

Em suma, o autor Carlos Lombardi, em depoimento ao livro A Seguir, Cenas do Próximo Capítulo, de André Bernardo e Cintia Lopes, também detalhou os bastidores da trama, que foi exibida na faixa das sete horas pela TV Globo no final da década de 80.

“Em Bebê a Bordo, por exemplo, tive problemas com o casal formado por José de Abreu e Maria Zilda. No papel, os dois eram ótimos, mas, na prática, não deram certo. Agora, se escrever novela já é um troço muito chato, escrever novela que dá errado é três vezes mais chato”, falou ele.

Comente com seu Facebook

Continue Reading

História da TV

Carolina Ferraz odiou fazer minissérie que foi fracasso de audiência: “Estou tentando sair digna dessa história”

Published

on

Em suma, Carolina Ferraz protagonizou produção que foi fracasso de audiência e ela reclamou (Créditos: Divulgação)

Em suma, Carolina Ferraz protagonizou produção que foi fracasso de audiência e ela reclamou (Créditos: Divulgação)

Carolina Ferraz é hoje uma das apresentadoras do casting da Record, mas durante décadas trabalhou efetivamente como atriz. Desse modo, com talento e beleza, ela pôde protagonizar várias tramas, em diferentes emissoras, mas nem todas foram sucesso de audiência.

+ Regina Volpato passa por apuros durante voo de avião

Em O Fantasma da Ópera, da extinta TV Manchete, Carolina Ferraz vivia a mocinha, par romântico do ator Claudio Marzo, mas a história não empolgou e as reclamações se tornaram públicas. Aliás, a atriz disse, na época, que esse foi o seu pior trabalho na televisão.

Com uma beleza estonteante, Carolina Ferraz classificou a trama como a pior da sua carreira (Créditos: Divulgação)

Com uma beleza estonteante, Carolina Ferraz classificou a trama como a pior da sua carreira (Créditos: Divulgação)

“Ninguém tem a menor ideia de como a história vai acabar. Estou sem timing, nunca sei se estou na linha de interpretação certa. Acho que virei o fantasma da história, porque estou em todos os lugares e não estou em lugar nenhum”, falou ela à Folha de S.Paulo em outubro de 1991.

+ Então, Adriane Galisteu viveu trauma em estreia na novela Xica da Silva: “Uma coisa horrorosa”

“Estou tentando sair digna dessa história. Estou ciente dos riscos que estou correndo. Agora, só nos resta torcer para que Amazônia seja um grande sucesso”, acrescentou Carolina Ferraz, que coleciona mais sucesso na dramaturgia do que fracassos.

Enquanto Carolina Ferraz sofreu na minissérie da Manchete, Arthur Aguiar é a bola da vez na Globo:

 + Enfim, Arthur Aguiar vira a bola da vez na Globo e tem futuro definido

De acordo com informações do jornalista Flávio Ricco, colunista do R7, Arthur Aguiar deve ser escalado para algum folhetim na programação logo após de deixar o Big Brother Brasil 22. Isso, claro, independente do resultado final, que será conhecido na semana que vem.

Comente com seu Facebook

Continue Reading

História da TV

Pantanal: Protagonistas não se falavam nos bastidores: “A gente não se dava bem”

Published

on

Em resumo, os atores Cristiana Oliveira (Juma) e Marcos Winter (Joventino) não se davam nos bastidores da versão original de Pantanal (Créditos: Divulgação)

Em resumo, os atores Cristiana Oliveira (Juma) e Marcos Winter (Joventino) não se davam nos bastidores da versão original de Pantanal (Créditos: Divulgação)

Sucesso na década de 90, Pantanal contou com uma curiosidade nos bastidores. Os atores Cristiana Oliveira, que interpretou a mocinha Juma, e Marcos Winter, o Joventino, não conversam nos bastidores da trama do autor Benedito Ruy Barbosa.

+ Quanto Mais Vida Melhor: Sem Antonelli e Brichta, novela teria outro elenco; entenda

Aliás, em entrevista para o programa Sensacional exibido pela RedeTV, a protagonista da primeira versão da novela rural deu mais detalhes. “Eu e o Marcos Winter, a gente não se dava muito bem na época de Pantanal”, contou a interprete da primeira Juma.

“Não que a gente se desgostasse, não existia essa de desgostar, mas a gente era de praias diferentes, entendeu?”, acrescentou a atriz, que já revelou que os dois fizeram as pazes tempos depois e até atuaram juntos em outras produções, mas na TV Globo.

+ Carlos Alberto de Nóbrega bate o pé e recusa troca no SBT

“Hoje é uma pessoa que eu amo. De repente, a gente se encontrou e a gente se ama, se admira, e é outra coisa. Mas na época, como eu estava começando, talvez tivesse um pensamento diferente dele”, afirmou a atriz na entrevista durante o Sensacional.

Enquanto protagonistas de Pantanal não se falavam nos bastidores, Record tira Reis do ar em junho:

De acordo com informações do jornalista Flávio Ricco, colunista do R7, A Decepção, primeira temporada de Reis, sairá do ar no dia 06 de junho, num total de 55 episódios. A partir do dia 07, a Record começará a exibir a série Todas as Garotas em Mim.

Desse modo, a Record exibirá as duas temporadas de Todas as Garotas em Mim, ficando com a série no ar até o dia 18 de julho. No dia seguinte, 19, iniciará a exibição da temporada intitulada A Rejeição, nova fase da superprodução Reis.

Comente com seu Facebook

Continue Reading

⚡EM ALTA