Xuxa (Foto: Reprodução)
Xuxa (Foto: Reprodução)

Justiça toma decisão, Xuxa perde processo contra deputada Bolsonarista e sofre reviravolta

Deslize para ler mais
author-image
Por Raquel Lima

28 Julho 2021

Xuxa (Foto: Reprodução)

Xuxa Meneghel perdeu uma ação movida contra a deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP). A apresentadora havia sido criticada pela política por causa do lançamento do livro Maya.

+Ana Paula Renault perde a paciência ao vivo com o filho de Cid Moreira e barraco é exposto: “Envenenado”

Dessa forma, a obra da Rainha dos Baixinhos é voltado para o público infantil com temática LGBTQIA+, o que deixou Zambelli revoltada. Sendo assim, ela iniciou a campanha “Xuxa deixe nossas crianças em paz”, no Twitter, na tentativa de boicotar o livro da loira.

“O alvo dessa teia de destruição de valores humanos não é mais você. Essa mira está apontada para a mente das nossas crianças! Sexualizar e instigar inocentes ao sexo pavimenta a pedofilia e a depravação. Não tenhais medo. Lute por elas conosco!” , disse Carla Zambelli contra Xuxa.

Por isso, Xuxa Meneghel resolveu mover um processo contra a apoiadora de Jair Bolsonaro. Além disso, a famosa queria uma indenização de R$ 150 mil por danos morais, o que não acabou sendo aceito.

Justiça toma decisão, Xuxa perde processo contra deputada Bolsonarista e sofre reviravolta

Justiça toma decisão, Xuxa perde processo contra deputada Bolsonarista e sofre reviravolta (Foto: Reprodução)

Juíza manifesta decisão e Xuxa perde processo contra Carla Zambelli

“O comentário da ré em uma rede social —ainda que sobre um livro que sequer havia sido lançado— reflete a liberdade de expressão e a sua limitação pode ferir preceito constitucional e caracterizar censura, o que não é permitido”, entendeu a juíza Carolina Pereira de Castro.

“A manifestação, ainda que possa demonstrar desconhecimento pela ré acerca da temática do livro que seria lançado pela autora, apenas fez uma crítica —seja boa ou ruim— à obra que seria produzida pela autora, o que apesar de denotar uma preocupação exacerbada com a educação sexual de crianças, não implica a ocorrência de lesão extrapatrimonial digna de nota”, prosseguiu a responsável pela decisão do processo de Xuxa.


Artigo seguinte