Connect with us

Streaming

Pokémon vai ganhar série live-action na Netflix

Published

on

Pokémon, uma das franquias mais famosas e valiosas do mundo, irá ganhar uma série live-action na Netflix. Entenda e veja os detalhes.

Pikachu em Pokémon: Detetive Pikachu. (Reprodução/Internet)

Pokémon, uma das franquias de maior sucesso de todos os tempos, vai virar uma série live-action produzida pela Netflix. A marca, que já um fenômeno nos games e animes, mostrou todo seu potencial recentemente.

Joe Henderson, produtor executivo e co-showrunner de Lucifer, um dos maiores sucessos da plataforma de streaming, é quem irá comandar e escrever o roteiro da nova atração.

Munik Nunes é flagrada aos beijos com ex de Renata Dávila

Segundo a revista Variety, a projeto ainda está apenas no início, e não foram revelados muitos detalhes sobre a trama. A ideia é fazer algo nos moldes de Pokémon: Detetive Pikachu (2019), que mostrou o real potencial cinematográfico da franquia.

A Netflix, que é basicamente a casa não-oficial de Pokémon nos EUA, já reúne inúmeras versos do desenho em seu catálogo de streaming. No Brasil, os assinantes podem ver a série clássica e a “Jornadas”, que protagonizam aventuras de Ash e Pikachu.

Gusttavo Lima se exibe no Instagram e Andressa Suita dispara: “Daddy”

Além disso, a empresa estaria produzindo também séries live-action de Cowboy Bebop e Yu Yu Hakusho, animes de muito sucesso em todo o mundo e com estreias previstas para o ano que vem.

O primeiro sucesso da plataforma no estilo que combina atores reais com animações gráficas de personagens de desenhos foi em 2017, com o live-action de Death Note, que conseguiu conquistar o público, embora a crítica especializada não tenha sido tão conquistada.

Relembre o trailer de Pokémon: Detetive Pikachu

Comente com seu Facebook

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Streaming

Miguel Falabella acelera produção de “Glee brasileira” no Disney+

Published

on

Miguel Falabella está trabalhando a todo vapor em sua nova série para a Disney+. Confira os detalhes e saiba mais sobre o assunto.

Miguel Falabella (reprodução/internet)

Miguel Falabella está a todo vapor na produção da série musical ‘O Coro: Sucesso, Aqui Vou Eu’, criada e dirigida por ele especialmente para o Disney+. Esse, aliás, é o primeiro trabalho do ator e dramaturgo para um streaming de alcance internacional desde que saiu da Globo.

A nova produção do ex-Sai de Baixo, chamada por muitos de “Glee brasileira” nas redes sociais, está prevista para ser lançada no começo de 2022. Aliás, as gravações começaram no mês passado em São Paulo.

Aliás, Lívia Andrade surge ousada e nega papel de vilã: “Vou decepcionar vocês”

Contudo, o conteúdo já entrou em fase de produção, segundo informações divulgadas pela própria Disney+ à imprensa nesta quinta-feira, 23. Nas redes sociais, Miguel Falabella tem compartilhado várias fotos dos bastidores do projeto.

Em O Coro, um grupo de jovens adultos, de diferentes origens, veem no anúncio de um teste de elenco para uma companhia de teatro a chance de retomar a busca de seus sonhos adormecidos e fazer uma carreira no teatro.

Luís Roberto enfim estreia programa nas noites de sábado da Globo

Série de Miguel Falabella no Disney+ conta com elenco de peso

Contudo, os aspirantes conseguem aprovação numa primeira triagem e vivem um misto de sentimentos. Entre eles, o deslumbramento com o mundo do teatro, descoberta de novos amores, assombramentos do passado e o medo da reprovação. Isso já que não sabem se conseguirão o contrato  no final das audições.

No elenco, aliás, Miguel Falabella fez questão de reunir grandes nomes. A série irá contar com dez episódios, com duração de cerca de 45 minutos cada.

Contudo, Bocardi recebe surpresa ao vivo por delivery de Ana Maria Braga: “Promessa”

Entre os atores e atrizes envolvidos, além do próprio Miguel Falabella, estão nomes como Sara Sarres (Marita); Karin Hils (Marion); Lucas Wickhaus (Jorge); Daniel Rangel (Leandro); Mica Diaz (Alícia); e Gabriel Hipólito (Reginaldo).

Aliás, outros grandes nomes também estão presentes, como: Graciely Junqueira (Ivone) e Carolina Amaral (Antonia); Rhener Freitas (Maurício); Gabriella Di Grecco (Nora); Bruno Boer (Sissy); Guilherme Magon (Artur) e Magno Bandarz (Fernando).

A direção da série é de Miguel Falabella em parceria com a também ex-Globo Cininha de Paula (de Cobras e Lagartos, Sai de Baixo, Sítio do Pica-Pau Amarelo e Você Decide).

Comente com seu Facebook

Continue Reading

Streaming

YouTube distribuiu mais de US$ 30 bilhões aos criadores de vídeo desde 2018

Published

on

YouTube

Layout do YouTube (Fonte: Unsplash)

Nos últimos três anos, os vídeos online começaram a ganhar muito espaço na internet, seja com as redes sociais ou até mesmo nos sites de notícias e de entretenimento. O YouTube foi uma das plataformas que mais se destacou com isso, principalmente pelas oportunidades que ofereceu aos novos criadores de conteúdo. Desde 2018, a empresa norte-americana gastou mais de US$ 30 bilhões para pagar os usuários que postaram conteúdo por lá. Um valor considerável, e que mostra a importância dos vídeos online na atualidade.

Alguns estudos divulgados pela empresa Statista indicam que mais de 80% do tráfego da internet é dedicado ao consumo de vídeos. O sucesso dos serviços de streaming e a maior presença desse formato nas redes sociais foram pontos importantes para esse crescimento. Um movimento que atingiu até mesmo a audiência da TV no Brasil, pois o público está optando por assinar uma plataforma de streaming, como a Netflix, ou até mesmo a consumir conteúdo do YouTube com os recursos de TV com internet, por exemplo.

Romana Novais nega crise com Alok: “Tenho a senha do celular”

A maior prova desse sucesso é o alto investimento da Google nos conteúdos disponíveis na plataforma de compartilhamento de vídeo online. No início do ano, Susan Wojcicki, CEO do YouTube, anunciou que, desde 2018, a empresa pagou mais de US$30 bilhões aos criadores de conteúdo no formato audiovisual. Isso significa um investimento alto, e que também funciona como um incentivo para quem deseja seguir uma carreira profissional na plataforma. Uma oportunidade que está ficando cada vez mais acessível.

Atualmente, a criação e edição de conteúdos em formato de vídeo está ficando cada vez mais fácil com algumas ferramentas da web. Esse é o caso, por exemplo, do software gratuito Movie Maker Online, desenvolvido pela InVideo para que os usuários comuns possam compartilhar vídeos profissionais de maneira fácil. Com templates personalizáveis e uma biblioteca composta por milhões de imagens, músicas e fotos da Shutterstock e da iStock, a ferramenta permite que qualquer pessoa com internet consiga publicar conteúdos de qualidade nas redes sociais. Algo que amplia ainda mais o catálogo de vídeos na internet.

Mais vídeos online e menos TV

Uso do YouTube em smartphones cresce exponencialmente desde 2015.

Uso do YouTube em smartphones cresce exponencialmente desde 2015. (Reprodução/Internet)

O alto investimento da Google não deve ficar apenas nesses bilhões de dólares, o que causa grande preocupação para as emissoras de TV. Nos últimos anos, o crescimento dos vídeos online na internet está fazendo com que a audiência nos canais comuns registrem quedas todos os anos. Recentemente, nós comentamos sobre a crise enfrentada pela RedeTV, e a tendência é que isso se expanda para outros canais. A Rede Globo, o SBT e a Band já deram sinais neste sentido.

As concessionárias de TV paga também estão sofrendo com isso. Enquanto a Netflix registra quase 20 milhões de assinantes no Brasil, empresas como a Sky e a Net estão perdendo assinantes de forma recorrente. Os serviços de streaming caíram no gosto dos brasileiros, assim como no resto do mundo, e a tendência é que o conteúdo seja cada vez mais online e até mesmo gratuito. Afinal, o sucesso do YouTube também é algo que assusta o setor tradicional.

Os meios de comunicação estão passando por uma forte mudança em todo o mundo, e os vídeos online estão liderando essa digitalização. O YouTube é um dos grandes responsáveis por isso, e a tendência é que o investimento da Google continue a crescer e até mesmo supere os números bilionários que foram gastos desde 2018. Uma boa notícia para quem deseja fazer uma carreira profissional na plataforma, algo que é cada vez mais comum no Brasil e com grande potencial de sucesso.

E você, qual sua opinião sobre o YouTube?

Comente com seu Facebook

Continue Reading

Streaming

Sucesso na Globoplay, As Five enfrenta “problema logístico” para próximas temporadas; entenda

Published

on

Em suma, As Five foi um sucesso e Globo precisou se organizar para gravar novas temporadas. (Foto: Reprodução)

Em suma, As Five foi um sucesso e Globo precisou se organizar para gravar novas temporadas. (Foto: Reprodução)

As Five, seriado derivado de Malhação: Viva a Diferença, foi um grande sucesso de público e crítica. Assim, a Globoplay tratou de renovar a série. E não apenas para uma, mas para duas temporadas. Em suma, o seriado está garantido até, pelo menos, a terceira temporada.

Contudo, de acordo com o NaTelinha, a Globo enfrenta um pequeno “impasse” com as gravações. A apuração do portal entregou que a condição para a renovação para o 3º ano foi de que as temporadas fossem gravadas juntas. Isso porque o elenco da atração está sendo muito requisitado para novelas da emissora.

Enquanto 3 das meninas já estão gravando Nos Tempos do Imperador, Ana Hikari está reservada para Cara e Coragem, futura novela das 19h. A Globo, então, encontrou uma solução. A emissora gravará em julho a 2ª e a 3ª temporada da série teen.

Isso porque, em julho, todas as 5 estarão disponíveis. Assim, a Globo deve aproveitar e gravar todos os episódios de uma vez, estreando as temporadas em 2022 e 2023.

As Five conta a história das 5 protagonistas de Malhação: Viva a Diferença, cerca de 5 anos depois dos eventos da novelinha adolescente. As meninas se reencontram em situações adversas e enfrentam juntas os desafios que a vida adulta impôs.

+ Com a corda no pescoço, Geraldo Luís toma atitude desesperada ao vivo e faz pedido a Record

+ Enquanto isso, Globo passa a perna na Record e compra direitos de Pica Pau para programação

Considerado um dos maiores coringas da programação da Record, a série ‘A Turma do Pica-Pau’ agora faz parte do catálogo da Rede Globo. Isso porque, aumentando cada vez mais seu catálogo de clássicos no Globoplay, a Vênus Platinada adquiriu os direitos da animação e está prestes a lhe lançar para o público.

A princípio, não é a primeira vez que a emissora dos Marinho dá um golpe na rival e compra um clássico de sua grade. Em resumo, recentemente o grupo carioca também adquiriu ‘Todo Mundo Odeia o Chris’, mostrando estar disposto a colocar todos os maiores sucessos da televisão brasileira no canal de streaming.

A série, de 146 episódios, é uma produção da Universal Studios entre 1999 e 2003, e já foi destaque também no SBT. Contudo, há quinze anos ‘A Turma do Pica-Pau’ faz sucesso nas manhãs e tardes da Record. Por fim, a emissora dos Bispos continuará tendo os direitos de transmissão de praticamente todas as adaptações animadas do personagem ao menos até o final de 2022.

De acordo com informações do site TV Pop, a Globo e a Universal fecharam o contrato ao fim do mês de junho. Por conta disso, a emissora não teve tempo de anunciar a animação como novidades para o mês seguinte no texto enviado a imprensa

Comente com seu Facebook

Continue Reading

⚡EM ALTA